Artigos

Deus e o cotidiano

19 de Janeiro de 2018 | Por Dayse Monique
Deus e o cotidiano

Provavelmente você que lê esse texto está correndo ou pensando em várias coisas que precisa dar conta durante o dia, a semana... Muitas são as obrigações, não? Provavelmente o cansaço já virou rotina em sua vida e faz parte do seu cotidiano. Seu celular já deve ter recebido algumas notificações enquanto você tenta ler isso aqui, certo? Você poderia ironizar usando um jargão pentecostal: "Vejo que há profeta neste lugar." Sim, estou falando de algo muito óbvio e previsível de acordo com os dias que vivemos. 

Fico aqui imaginando... curiosa para saber se conseguimos enxergar Deus no nosso dia-a-dia. Preciso conjugar o verbo na primeira pessoa do plural, pois estou certa de que estou inserida nesse processo.

"Vinde a mimtodos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. " Interessante esse versículo de Mateus 11.28! Jesus é a pessoa que devemos encontrar até mesmo nesses tempos de extremo cansaço e opressão. A pergunta que não quer calar é ONDE? Onde nos encontramos com Ele? Quando vamos à igreja? Quando vamos aquele seminário abençoado? O Retiro de Carnaval está chegando! Será que é lá que o SOBRENATURAL SE MOVERÁ? 

Sim, é possível que Deus esteja presente nesses lugares. O que gostaria de provocar a reflexão é sobre o Deus que se manifesta em nosso cotidiano. Um convite a enxergá-lo em nossa simplicidade, humanidade e até mesmo em nossas fraquezas. Ele nos garantiu que estaria conosco TODOS OS DIAS DA NOSSA VIDA até a consumação dos séculos. Se não O encontrarmos em nosso cotidiano, provavelmente, não O encontraremos em lugar nenhum.

Que sociedade teríamos se expressarmos o amor Dele em nossa rotina? As pessoas podem senti-LO através da gentileza diária, do abraço que descansa a alma, do estar presente na celebração e nas desilusões da vida... dentre inúmeras possibilidades de transmitir-LO e fazê-LO conhecido. Não em discursos...a galera já tá de "saco cheio" dos gritos no púlpito que se contrasta com a frieza e silêncio de um cotidiano cansativo e opressor. 

Desejo que nos encontremos com Ele agora! Se não agora, quando? 

Percebê-LO na vida, no partir do pão, no rolê com os amigos, na atenção com as pessoas que estão em sofrimento. 

Vamos juntos? 

Paz e abraço apertado!